Ligue-se a nós

Tecnologia

Regras da OpenAI poderiam ser burladas para atingir minorias

Redação Informe 360

Publicado

no

Um novo estudo, divulgado semana pelo Washington Post, alerta para que as regras de OpenAI, podem ser facilmente contornadas para atingir maliciosamente comunidades minoritárias e marginalizadas nos EUA, por exemplo, latinos, usando conteúdo enganoso e propaganda política.

Leia mais:

  • OpenAI apresenta ChatGPT Enterprise para grandes empresas
  • OpenAI lançará ‘loja de ChatGPTs’ nesta semana
  • Qual é o futuro do ChatGPT?

A OpenAI, empresa que desenvolve modelos de IA como o ChatGPT, chegou a afirmar em janeiro desde ano que possui políticas estritas que regem as ferramentas que seus profissionais desenvolvem, para evitar para espalhar desinformação antes das eleições de 2024. Basicamente, regras que impediriam que as pessoas construam chatbots para campanhas políticas ou propagar desinformação.

No entanto, pesquisadores parecem ter descoberto que essas regras tem lacunas. E elas podem ter grandes implicações para as comunidades sub-representadas e que não falam inglês durante as eleições deste ano nos EUA.

OpenAI
Imagem: rafapress/Shutterstock

Como foi possível encontrar brechas nas regras da OpenAI para modelos de IA

  • O Instituto de Democracia Digital das Américas, uma unidade de pesquisa que examina como os latinos navegam na Internet, realizou vários testes no ChatGPT.
  • Foi pedido para o assistente que ele criasse um chatbot para fins de campanha, incluindo “para interagir em espanhol” e para “direcionar” os eleitores latinos.
  • Conforme regras da OpenAI, os prompts inseridos não deveriam ter gerado respostas, mas na realidade, o GPT-4 forneceu instruções detalhadas do que foi solicitado.

“Direcionar um chatbot para eleitores latinos nos EUA requer uma abordagem diferenciada que respeite a diversidade cultural, preferências linguísticas e questões específicas de importância para a comunidade latina. Veja como você pode personalizar o chatbot para obter eficácia máxima”, dizia uma resposta do assistente.

Roberta Braga, fundadora e diretora-executiva do grupo que realizou o teste, alegou que os resultados mostram que as salvaguardas da empresa foram facilmente contornadas, mesmo quando os investigadores não escondiam a intenção de usar a ferramenta em campanhas contra os latinos.

Anúncio

A descoberta deve esquentar uma discussão que já é longa, onde legisladores e grupos que lutam contra atos de desinformação online cobram que empresas de tecnologia tenham mais responsabilidade na aplicação adequada de suas regras em línguas diferentes do inglês, especialmente nas empresas de redes sociais.

ChatGPT
Imagem: photosince/Shutterstock

Os autores do estudo concluem que “regras em ferramentas de IA ainda não estão sendo aplicadas de forma consistente ou simétrica entre países, contextos ou em línguas que não o inglês”.

Contudo, o relatório ressalta que “os termos de serviço da OpenAI são mais avançados no combate ao uso indevido e à disseminação de desinformação do que os da maioria das empresas que lançam produtos generativos de IA no mercado atualmente”.

A porta-voz da OpenAI, Liz Bourgeois, disse em um comunicado que “as descobertas deste relatório parecem resultar de um mal-entendido sobre as ferramentas e políticas que implementamos”.

Bourgeois afirma que a empresa permite que as pessoas usem seus produtos como um recurso para defesa política e que fornecer instruções sobre como construir um chatbot para fins de campanha não viola suas políticas.

Anúncio

O post Regras da OpenAI poderiam ser burladas para atingir minorias apareceu primeiro em Olhar Digital.

Continuar Lendo
Anúncio

Tecnologia

Já pensou em escolher o nome de uma lua? Agora você pode!

Redação Informe 360

Publicado

no

Um concurso organizado pela União Astronômica Internacional (IAU) e pelo programa de rádio Radiolab, dos EUA, te dá a chance de sugerir um novo nome para uma futura quase-lua da Terra. O objeto em questão foi descoberto em abril de 2004 e é atualmente denominado 164207 (2004 GU9) – que, convenhamos, não é muito carismático.

Entenda:

  • Um concurso está aceitando sugestões de nome para uma quase-lua da Terra;
  • O objeto em questão, atualmente denominado 164207 (2004 GU9), tem 360 metros de diâmetro e é considerado um asteroide potencialmente perigoso;
  • As quase-luas são objetos que orbitam um planeta e, apesar de possuírem características semelhantes às de uma lua comum, não apresentam a estrutura necessária para serem categorizados como tal;
  • O nome sugerido deve estar relacionado a alguma mitologia, e não pode estar em uso por outros objetos espaciais;
  • A sugestão também não deve ter mais de 16 caracteres ou ser um número;
  • Os nomes devem ser enviados até setembro pelo site do concurso, acompanhados de uma descrição e do motivo da escolha;
  • O resultado será divulgado em janeiro de 2025.
Quase-lua da Terra foi descoberta em 2004. (Imagem: Saurabh13/Shutterstock)

Também chamadas de quase-satélites, essas rochas espaciais são encontradas na órbita de um planeta. Apesar de possuírem características semelhantes às de uma lua comum, elas não apresentam a estrutura necessária para serem categorizadas como um satélite natural.

Com cerca de 360 metros de diâmetro, o 164207 (2004 GU9) é considerado um asteroide potencialmente perigoso, e os cientistas estimam que ele deve se tornar uma quase-lua da Terra até 2600.

Leia mais:

Anúncio
  • Por que a Nasa quer seres humanos morando na Lua?
  • Missão chinesa ao lado escuro da Lua está voltando com amostras e cientistas se preparam
  • Átomos encontrados no lado escuro da Lua

Como funciona o concurso para dar nome à quase-lua?

Para participar do concurso, algumas regras devem ser seguidas. A primeira delas é que o nome sugerido precisa, obrigatoriamente, estar relacionado a alguma mitologia – ou seja, nada de nomes próprios (não pode chamar de João ou Maria!), genéricos e nem apelidos de animais de estimação (esqueça Rex e Totó).

Sugestões devem ser enviadas até setembro. Resultado será divulgado em janeiro de 2025. (Imagem: buradaki/Shutterstock)

O nome também não pode estar sendo usado por outros objetos espaciais (é possível conferir a lista aqui), possuir mais do que 16 caracteres ou ser um número. As sugestões devem ser enviadas diretamente pelo site do concurso, acompanhadas de uma breve descrição do nome e o motivo de sua escolha.

O concurso vai até setembro, e a escolha do nome acontece em outubro. O resultado será divulgado em janeiro de 2025. Vale lembrar que a Radiolab também foi responsável pela nomeação de Zoozve, quase-lua de Vênus descoberta em 2002.

O post Já pensou em escolher o nome de uma lua? Agora você pode! apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Anúncio
Continuar Lendo

Tecnologia

Qualidade do ar: Brasil vai adotar padrão de medição da OMS

Redação Informe 360

Publicado

no

A qualidade do ar no Brasil precisará se adequar aos parâmetros estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo da mudança é garantir a proteção da saúde da população brasileira, bem como reduzir os impactos causados pela poluição ao meio ambiente.

Leia mais

  • Como as mudanças climáticas estão piorando a qualidade do ar?
  • “Poluição grave”: qualidade do ar piora na China em 2023
  • Índia concentra a poluição do ar no planeta, revela relatório
  • Poluição afeta a saúde da pele, aponta pesquisa
Maioria da população mundial respira um ar inadequado (Imagem: chayanuphol/Shutterstock)

Normas brasileiras foram consideradas inadequadas

  • De acordo com dados de 2022 da OMS, 99% da população mundial respira níveis insalubres de material particulado fino e dióxido de nitrogênio.
  • Estas substâncias são capazes de causar impactos cardiovasculares, cerebrovasculares e respiratórios.
  • Diante deste cenário, motivado por uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, o Supremo Tribunal Federal considerou muito permissivos os padrões de qualidade do ar adotados no país.
  • Segundo o entendimento do STF, eles favorecem altos níveis de contaminação atmosférica.
  • Por isso, a entidade determinou a revisão do quadro em 24 meses.
Poluição de ar em cidade grande
Poluição do ar pode gerar problemas graves de saúde (Imagem: hxdbzxy/Shutterstock)

Novo padrão de medição da qualidade do ar será adota em fases

Após a determinação, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) aprovou uma resolução que define as datas em que padrões intermediários de emissão de poluentes serão tolerados até que o padrão de qualidade nacional (seguindo os parâmetros da OMS) entre em vigor.

A primeira etapa ocorrerá até 31 de dezembro de 2024 e as três etapas seguintes estão previstas, respectivamente, para os dias 1º de janeiro dos anos de 2025, 2033 e 2044. A última fase considera a possível antecipação ou prorrogação de até quatro anos e será determinada após a efetivação da quarta etapa.

A nova medição deverá quantificar substâncias como fumaça, monóxido de carbono, partículas suspensas, materiais particulados, dióxido de enxofre, dióxido de nitrogênio, ozônio e chumbo. Para isso ficou estabelecida a unidade de medida padrão serpa micrograma por metro cúbico (µg/m³), com exceção do monóxido de carbono, que deverá ser medido por partes por milhão (ppm).

Anúncio

Após a publicação da resolução no Diário Oficial da União, as autoridades brasilerias terão até 18 meses para atualizar e publicar o Guia Técnico para Monitoramento e Avaliação da Qualidade do Ar. O documento determina métodos, periodicidade e localização da coleta de amostras para consolidação dos dados que constarão em relatórios de avaliação da qualidade do ar.

O post Qualidade do ar: Brasil vai adotar padrão de medição da OMS apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Anúncio
Continuar Lendo

Tecnologia

Você tem gastrite? Pílula inteligente funciona como um GPS no seu estômago

Redação Informe 360

Publicado

no

Pesquisadores da Escola de Engenharia Viterbi, localizada na Universidade do Sul da Califórnia (USC Viterbi), desenvolveram uma pílula inteligente que pode ser rastreada em tempo real no trato gastrointestinal e é capaz de detectar gases estomacais relacionados à gastrite e ao câncer de estômago.

Entenda:

  • Pesquisadores criaram uma pílula inteligente que pode ser rastreada em tempo real no trato gastrointestinal;
  • O dispositivo também é capaz de detectar gases estomacais relacionados à gastrite e ao câncer de estômago;
  • A pílula conta com um sistema vestível – que consiste em uma rede neural treinada e uma ‘camiseta’ com bobina que gera um campo magnético – para monitoramento de precisão;
  • As pílulas também contam com uma “membrana de detecção óptica” que funciona em contato com o gás amoníaco;
  • Os próximos testes serão voltados para aplicar a pílula ao monitoramento da saúde do cérebro através do eixo intestino-cérebro;
  • O estudo foi publicado na revista Cell Reports Physical Science.
câncer de estômago
Pílula inteligente pode ajudar a detectar câncer de estômago. (Imagem: PopTika/shutterstock)

Descrita pela equipe como uma espécie de “Fitbit para o intestino”, a pílula conta com um sistema vestível de monitoramento de precisão – que consiste em uma rede neural treinada e uma ‘camiseta’ com bobina que gera um campo magnético. O estudo foi publicado na revista Cell Reports Physical Science.

Leia mais:

  • Pílula inovadora impede progressão de câncer de pulmão
  • Pílula pode revolucionar tratamento de ELA, doença que acometeu Stephen Hawking
  • Pílula diária ajuda a combater o câncer metastático, aponta pesquisa

Pílula inteligente também pode ajudar a monitorar o cérebro

Além do sistema de localização, as pílulas também contam com uma “membrana de detecção óptica seletiva para gases”, composta por materiais que, em contato com amônia, apresentam alterações nos elétrons. O gás é produzido pela bactéria intestinal H. pylori – que, quando encontrada em níveis elevados no organismo, pode apontar quadros como úlcera péptica, câncer de estômago ou síndrome do intestino irritável.

Novas pílulas podem ajudar a monitorar a saúde do cérebro. (Imagem: nito/Shutterstock)

A pílula foi testada em diversas situações, incluindo ambientes líquidos e simulando um intestino bovino. Em breve, a equipe deve começar a testar o dispositivo em modelos suínos. “O sistema é compacto e prático, oferecendo um caminho claro para aplicação na saúde humana ”, diz Yasser Khan, professor-assistente de Engenharia Elétrica e Computação na USC Viterbi.

A equipe ainda explica que a pílula pode, no futuro, ajudar a monitorar a saúde do cérebro através do eixo intestino-cérebro. Como explica Khan, os neurotransmissores residem no intestino e “a forma como são regulados positiva e negativamente tem uma correlação com doenças neurodegenerativas”. Os próximos passos da pesquisa serão voltados à detecção de neurotransmissores relacionados ao Parkinson e Alzheimer.

Anúncio

O post Você tem gastrite? Pílula inteligente funciona como um GPS no seu estômago apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Continuar Lendo

Em Alta