Ligue-se a nós

Cidades

Legado Olímpico: Prefeitura do Rio transforma Arena do Futuro em escolas

Redação Informe 360

Publicado

no

A Prefeitura do Rio inaugurou, nesta terça-feira (6/2), dois Ginásios Educacionais Tecnológicos (GETs), em Bangu e Santa Cruz, ambos na Zona Oeste, construídos a partir da Arena do Futuro, que recebeu as competições de handebol e goalball nas Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016, respectivamente. Em março, duas novas unidades de ensino, em Campo Grande e Rio das Pedras, serão entregues aos cariocas após o reaproveitamento de material da instalação esportiva olímpica.

– A arena foi montada como um Lego e depois desmontada para virar quatro escolas. Isso não aconteceu com nenhum estádio olímpico do mundo. A gente chamava o estádio de handebol de Arena do Futuro, porque a gente queria preparar as futuras gerações de cariocas para construir uma cidade melhor. Estamos felizes de entregar esses novos GETs olhando para o futuro da cidade e das nossas crianças – afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Para evitar que os investimentos para a realização dos Jogos 2016 dessem origem a instalações sem uso, os chamados “elefantes brancos”, a Prefeitura do Rio adotou a arquitetura nômade em grande parte de seu projeto olímpico. Este conceito de construção prevê o reaproveitamento das instalações esportivas para transformá-las em outros equipamentos públicos. O Plano de Legado feito para os Jogos Rio 2016 previu que a Arena do Futuro, ao término das competições, originasse quatro escolas, que vão atender um total de cerca de 1.700 alunos.

O GET José Mauro de Vasconcelos, em Bangu, e o GET Emiliano Galdino, em Santa Cruz, vão atender a cerca de 900 alunos do Ensino Fundamental no modelo de escola pública mais inovador do país, que segue a abordagem STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) e investe na qualificação da educação integral, com atividades das 8h às 14h30. As aulas nos dois GETs começaram na segunda-feira (05/02).

– Não tem legado maior do que o legado para a educação. Com a mesma estrutura da arena do handebol, nós construímos quatro escolas, onde mais de 1.500 alunos vão se formar e terão um futuro melhor. Em todos os jogos olímpicos, as pessoas perguntam sobre o legado. E eu não consigo imaginar uma cidade que deu uma resposta melhor sobre legado social e educacional do que o Rio de Janeiro – disse o secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha.

Para potencializar o desenvolvimento de novas competências e habilidades, os GETs oferecem aos alunos a possibilidade de realizar projetos de forma interdisciplinar para além do livro didático. As escolas contam com laboratórios maker. Tudo para que o aluno consiga desenvolver projetos próprios e aprender colocando a mão na massa, ao tempo que impacta o entorno escolar.

Anúncio

Até o fim do ano: 200 GETs

Com a inauguração dos dois novos GETs na Zona Oeste, a rede municipal passa a contar com 90 Ginásios Educacionais Tecnológicos, atendendo a 32.130 alunos, e com previsão de chegar a 200 unidades deste novo modelo de escola até o fim de 2024. São atendidos alunos de todas as idades e de todas as regiões da cidade, promovendo uma educação pública de qualidade e integrada ao mundo contemporâneo.

– Essas escolas são especiais porque elas entregam uma promessa do Legado Olímpico. São dotadas de muita tecnologia, conforto, climatização e acessibilidade para as nossas crianças. Foram feitas com material da Arena do Futuro, que foi cuidadosamente desmontada e seu material foi aproveitado na construção desses GETs em Bangu e Santa Cruz – destacou Armando Queiroga, presidente da Rio-Urbe, órgão da Prefeitura responsável pela obra de construção dos novos GETs.

Novas inaugurações ainda em 2024

Além das escolas, dentro deste conceito de reaproveitamento das instalações esportivas dos Jogos para transformá-los em outros equipamentos públicos, a Prefeitura do Rio ainda vai inaugurar, em breve, o Terminal Intermodal Gentileza (TIG), que recebeu as estruturas de aço do Centro Internacional de Transmissão (IBC). O terminal será o elo entre dois dos principais legados de mobilidade de 2016: o BRT e o VLT.

Anúncio

A área de circulação e convivência dentro do Parque Olímpico, que também serviu para interligar as arenas esportivas, está se transformando no Parque Rita Lee. Uma instalação pública com mais de 900 árvores e 16 mil arbustos, quadras esportivas, praças, reforma do skate park, praça molhada e pisos coloridos, que será inaugurada ainda no primeiro semestre de 2024.

Já a piscina do Estádio Aquático Olímpico será montada no Parque Oeste. O parque sustentável ficará em um terreno de mais de 234 mil metros quadrados na Avenida Cesário de Melo, em Inhoaíba, Zona Oeste. Parte do Velódromo, que também está localizado no Parque Olímpico, receberá o Museu Olímpico.

A continuidade do plano de Legado Olímpico do Rio ficou paralisada entre os anos de 2017 e 2020, por decisão do governo anterior. Mas, a partir de 2021, o município voltou a investir na transformação da cidade para potencializar os benefícios e oportunidades conseguidas com a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, tanto no âmbito esportivo quanto de infraestrutura, que continuam a beneficiar a população carioca oito anos após a sua realização.

Rio tem excelência em aproveitamento do legado esportivo

Anúncio

Ainda na preparação para a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016, a população carioca começou a ser beneficiada pelo evento mundial. E o GEO é um exemplo. Criado em 2012, é uma escola voltada para o Ensino Fundamental, em tempo integral e tem como principal objetivo dar oportunidade para os alunos desenvolverem suas aptidões esportivas, sem abrir mão de uma educação de excelência. Atualmente, mais de cinco mil alunos estão matriculados nos 11 GEOs existentes na cidade: Santa Cruz (duas unidades), Pedra de Guaratiba (duas unidades), Santa Teresa, Benfica, Caju, Realengo, Pitangueiras, São Cristóvão e Senador Camará.

Ao longo dos 11 anos do projeto, uma importante alteração foi a ampliação do modelo para os dois segmentos do Ensino Fundamental, passando a atender alunos dos anos iniciais (1º ao 5º), além dos anos finais (6º ao 9º) que deram origem ao programa.

Outro exemplo de sucesso de legado esportivo para o Rio que beneficiou amplamente a população foi o Estádio de Canoagem Slalom, no Parque Radical de Deodoro. Com o término dos Jogos, além de servir para treino dos atletas e a realização de competições, o local, que tem área equivalente a sete piscinas olímpicas, se transformou em uma área de lazer para os cariocas, principalmente, durante o verão. Além de oferecer um amplo parque para o desenvolvimento de atividades sociais voltadas para a prática esportiva e cultural.

O campo de golfe dos Jogos 2016 também elevou o Rio à condição de ineditismo, quando a cidade optou por erguer uma instalação pública, com recursos privados, além de promover a recuperação de uma área ambientalmente degradada. Até a realização das Olimpíadas, o município era dotado de campos em clubes privados, onde somente sócios podem praticar. Em pleno funcionamento, atualmente, qualquer pessoa pode utilizar o equipamento olímpico.

Anúncio

Mas o principal êxito da construção do campo de golfe na Barra da Tijuca foi a recuperação de uma área de proteção ambiental degradada. Com uma extensão equivalente ao bairro do Leme, na Zona Sul, o local teve sua vegetação nativa triplicada, com o uso racional de recursos naturais e em consonância com a biodiversidade.

Confira um resumo dos benefícios proporcionados para a população carioca, com a retomada em 2021 da transformação do Legado Esportivo:

ARENA CARIOCA 3

Modo Jogos: Recebeu as competições de Taekwondo e Esgrima nas Olimpíadas. E Judô nas Paralimpíadas.

Anúncio

Modo Legado: Ginásio Educacional Olímpico Isabel Salgado

Mais de duas mil pessoas eram beneficiadas por mês em pelo menos uma das atividades gratuitas culturais e de diversas modalidades esportivas, como ginástica, musculação e vôlei, até agosto de 2022, quando a Arena 3 iniciou sua transformação para Ginásio Educacional Olímpico (GEO) Isabel Salgado. Com a construção do GEO, as atividades foram transferidas para o Velódromo e, posteriormente, para a Arena 2, em caráter temporário.

O GEO Isabel Salgado, com inauguração prevista para esta quarta-feira (07/02), é formado por 24 salas de aulas, recepção, uma unidade de alimentação e nutrição, sala multiuso e outra de apoio pedagógico, área de circulação, sanitários para funcionários e alunos, além de instalações esportivas com duas quadras e locais para a prática de judô, lutas, tênis de mesa e ginástica. Uma escola em tempo integral e que beneficiará cerca de mil alunos.

Maria Isabel Salgado foi um dos maiores nomes do vôlei brasileiro e defendeu mais de dez times em campeonatos nacionais. Talentosa desde muito jovem, teve uma ascensão meteórica e passou a integrar a equipe principal do Flamengo com apenas 16 anos.

Anúncio

Fez história ao ser a primeira jogadora brasileira numa equipe estrangeira, o Modena, da Itália, nos anos 80. Defendeu o Brasil nas Olimpíadas de 1980, em Moscou, e 1984, em Los Angeles. Após encerrar sua carreira, migrou para o vôlei de praia, onde também fez história ao se tornar campeã mundial em 1994. Uma referência no meio esportivo, também atuou um período como treinadora. Em 2016, foi um dos nomes escolhidos para carregar a Tocha Olímpica.

Isabel deixou cinco filhos. Três deles — Maria Clara, Pedro e Carol — são atletas que herdaram o talento da mãe no vôlei de praia. Nos últimos anos, Isabel se dedicava a cuidar da carreira dos filhos. Sempre presente nas causas em prol da mulher, no esporte, e também líder nas questões dos atletas em geral.

ARENA DO FUTURO

Modo Jogos: Recebeu as competições de Handebol das Olimpíadas. E o Goalball nas Paralimpíadas.

Anúncio

Modo Legado:

• Quatro GETs

Em março de 2022, teve início a desmontagem da Arena para ser transformada em quatro escolas, situadas nos bairros de Bangu, Campo Grande, Rio das Pedras e Santa Cruz, que vão beneficiar cerca de 1.700 alunos. As escolas serão Ginásios Experimentais Tecnológicos (GETs), um novo modelo de ensino implantado na rede que, por meio da abordagem STEAM (Science, Technology, Engineering, Art and Math), desenvolve uma aprendizagem baseada em projetos, atividades mão na massa e recursos que promovam a cultura digital. Cada GET será formado por dez salas de aula, uma de leitura, colaboratório, quadra poliesportiva e áreas administrativas.

Para erguer as escolas, o município utilizou-se do conceito de arquitetura nômade da Arena do Futuro e aproveitou materiais como o breeze (fachada das arenas), divisórias e louças.

Anúncio

• Estádio Luso-Brasileiro

As estruturas das arquibancadas e da cobertura da Arena do Futuro foram doadas para o Estádio Luso-Brasileiro, de propriedade da Portuguesa, na Ilha do Governador. A doação vai permitir aumentar a capacidade de público do local que é de 5.044 para 16 mil espectadores.

ESTÁDIO AQUÁTICO OLÍMPICO

Modo Jogos: Recebeu as competições de natação das Olimpíadas e das Paralimpíadas.

Anúncio

Modo Legado:

• Parque Oeste

A piscina utilizada nas competições será montada no Parque Oeste. O parque ficará em um terreno de mais de 234 mil metros quadrados na Avenida Cesário de Melo, em Inhoaíba. Será um megaparque sustentável, além de preservar e ofertar novas áreas verdes na cidade para convivência. Vai contar com equipamentos culturais e esportivos. Entre as benfeitorias estão Vila Olímpica, Nave do Conhecimento, quadras poliesportivas, espaço ecumênico, pista de skate, ginásio coberto, palco, além de uma escola para 720 alunos e um Espaço de Desenvolvimento Infantil para cerca de 30 crianças em horário integral. Ainda serão construídos quiosques e um espaço destinado a oficinas. O projeto prevê o cultivo de 1.100 árvores e o plantio de jardins em uma área de aproximadamente 34 mil metros quadrados. A área reflorestada será de 61,8 mil metros quadrados.

VELÓDROMO

Anúncio

Modo Jogos: Recebeu as competições de ciclismo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

Modo Legado:

• Atividades esportivas gratuitas

Até julho de 2022, o Velódromo esteve sob administração do governo federal. Após a Prefeitura do Rio retomar a instalação, o espaço passou a oferecer atividades esportivas gratuitas para duas mil pessoas por mês. Essas atividades eram desenvolvidas na Arena 3, que foi transformada em Ginásio Experimental Olímpico (GEO). Com o início das obras do Museu Olímpico, as atividades foram transferidas temporariamente para a Arena 2.

Anúncio

• Museu Olímpico

O museu será dedicado ao Movimento Olímpico e contará a história da conquista, da preparação e da realização dos Jogos Rio 2016. Haverá ainda interação e tecnologia para reviver a atmosfera olímpica e também será mostrada a transformação do Rio de Janeiro através do legado olímpico, em imagens e histórias, com destaque para os valores olímpicos e a importância do esporte para o país.

• Competições

Por ser o mais moderno da América do Sul, o Velódromo recebe ao longo do ano várias competições nacionais e internacionais de ciclismo. As provas não são impactadas por outras ações que ocorrem no local.

Anúncio

VIA OLÍMPICA

Modo Jogos: Uma área de circulação e convivência dentro do Parque Olímpico, que também serviu para interligar as arenas esportivas e culminava no “Live Site”, esplanada destinada a eventos em frente à Lagoa de Jacarepaguá.

Modo Legado:

• Parque Rita Lee

Anúncio

As obras começaram em fevereiro de 2023 em uma área de 36 mil metros quadrados. O novo parque público natural terá mais de 900 árvores e 16 mil arbustos, quadras esportivas, praças, reforma do skate park, praça molhada e pisos coloridos. Haverá ainda novos mobiliários urbanos, como 465 mesas e cadeiras, 27 brinquedos infantis, 14 aparelhos de ginástica e 14 bicicletários.

ESTRUTURAS DO CENTRO INTERNACIONAL DE TRANSMISSÃO (IBC)

Modo Jogos: O Centro Internacional de Transmissão (IBC) recebeu mais de dez mil profissionais de imprensa, que trabalharam no prédio onde funcionavam estúdios e eram geradas as imagens das transmissões oficiais dos Jogos.

Modo Legado: As estruturas de aço do IBC foram utilizadas para a construção do Terminal Intermodal Gentileza (TIG), que vai ser um elo entre dois dos principais legados de mobilidade dos Jogos Rio 2016: o BRT e o VLT. O Terminal Gentileza foi projetado para ser o ponto de chegada ao Rio do BRT Transbrasil, que tem demanda mínima estimada em 130 mil pessoas transportadas diariamente. No local, os passageiros poderão pegar ônibus alimentadores para diversas regiões da cidade, além do VLT – que foi estendido em cerca de 700 metros a partir da Rodoviária Novo Rio – para circular no Centro do Rio e chegar à Central do Brasil, Praça XV e Aeroporto Santos Dumont.

Anúncio
Os GETs José Mauro de Vasconcelos e Emiliano Galdino vão atender a cerca de 900 alunos – Beth Santos/Prefeitura do Rio

Cidades

SJB dá a largada no seu Circuito Junino no próximo dia 12

Redação Informe 360

Publicado

no

Começa no dia 12 de junho o tradicional Circuito Junino de São João da Barra que engloba as celebrações em homenagem a Santo Antônio, ao padroeiro São João Batista, São Pedro e à celebração pelo aniversário de 174 de elevação da antiga Vila de São João da Praia à categoria de cidade.

A programação vai até o dia 30 de junho e conta com shows nacionais e regionais, programação religiosa, cultural e esportiva. O grupo Pique Novo é a atração principal do dia 12, na Praça Santo Antônio, e a cantora gospel Aline Barros se apresenta na Praça São João Batista no dia do aniversário da cidade, 17 de junho. Na véspera, tem show do grupo de pagode Kamisa 10, também na praça principal.

Já no dia 24, data em homenagem ao padroeiro São João Batista, tem apresentação da dupla Jads e Jadson. Outras atrações confirmadas são de Galã do Piseiro, na Praça de São Pedro, no dia 29, e o show catolico com o cantor Flávio Victor, em Capela São Pedro, na mesma data.

Além de muita música o Circuito Junino será mais uma vez marcado pelo tradicional Desfile Fluvial, no dia 23, na Sede. Os interessados em participar podem se inscrever até 20 de junho no Centro Cultural Narcisa Amália, ou na Secretaria Municipal de Pesca, em Atafona (Rua Jorge Moreira da Costa, n° 16), das 9h às 17h.

Anúncio

Também estão abertas as inscrições, até 14 de junho, para o Show de Talentos, e até o dia 25 para o Concurso Fluvial de Canoa Ornamentada. Os interessados em participar da competição, que acontecerá no dia 28, devem se inscrever de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, no Centro Cultural Amália.

Outro evento confirmado na programação é o II Festival de Comida Típica Junina. Com valor total de R$ 10 mil para premiação, que vai contar duas categorias: Prato Típico Doce e Prato Típico Salgado, podendo o participante se inscrever nas duas modalidades. O evento acontece durante o Café Literário do Circuito Junino, no dia 19 de junho, no Centro Cultural Narcisa Amália, a partir das 19h.

Fonte: Ascom/SJB

Anúncio
Continuar Lendo

Cidades

Campos: “A Convivência é uma Ilha” de sexta a domingo no Teatro de Bolso Procópio Ferreira

Redação Informe 360

Publicado

no

O Teatro de Bolso Procópio Ferreira receberá, neste final de semana, o espetáculo teatral “A Convivência é uma Ilha”, com o Grupo Erosão. Nesta sexta-feira (31) e no sábado (1º), as apresentações serão às 20h. No domingo (2), a encenação terá início às 19h. Os ingressos custam R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira) e estão à venda (AQUI) e na bilheteria do teatro, uma hora antes de cada sessão. O espetáculo tem classificação 14 anos.

Com performances voltadas para produção de memória coletiva e fortalecimento da cultura de comunidades tradicionais ribeirinhas, pequenos agricultores e moradores de favela, a peça vai além dos palcos, oferecendo diversas possibilidades de interatividade com o público.

O cenário do espetáculo — em forma de vídeo instalação — poderá ser visitado, pelo público, antes e depois da encenação. Nele, momentos dos ensaios e da preparação dos atores, cenas de oficinas em comunidades e trechos da construção do espetáculo em si. Dessa forma, a peça acontece na fronteira entre o teatro e o audiovisual, causando uma experiência única.

O Grupo Erosão, responsável por toda a criação do projeto, propõe reflexões importantes em áreas impactadas por catástrofes ambientais ou construções de empreendimentos com graves impactos socioambientais.

Anúncio

A peça tem direção de Fernando Codeço e produção da CasaDuna – Centro de Arte, Pesquisa e Memória de Atafona, com assistência de direção de Guilherme Mattos. A encenação ficará a cargo dos atores Jailza Mota, Julia Naidin, Lucia Talabi, Mariana Moraes, Paul Macalli, Rachell Rosa e do ator convidado Anderson Barreto.

Governo Federal, Ministério da Cultura, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, por meio da Lei Paulo Gustavo, apresentam o Grupo Erosão em “A Convivência é uma Ilha”.

Fonte: Secom/PMCG – Por: Antônio Filho – Foto: Mariana Moraes / Divulgação 

Anúncio
Continuar Lendo

Cidades

SJB terá Semana do Microempreendedor Individual

Redação Informe 360

Publicado

no

A Prefeitura de São João da Barra, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (SMDET) juntamente com oSebrae-RJ, realizará a Semana do MEI (Microemprendedor Individual) nos dias 21, 22 e 23 de maio. O evento será na Casa do Empreendedor, na sede da SMDET, localizada na Avenida Rotary, 783, Centro, e o objetivo é promover o fortalecimento dos microempreendedores locais.

Os interessados, seja microempreendedor ou não, podem efetuar a inscrição (aqui). Os temas serão ministrados pelos consultores do Sebrae.

O evento ,que tem a parceria do Sicoob Fluminense, Câmara de Dirigentes Lojistas de São João da Barra e o programa Líder Norte Fluminense, visa proporcionar aos MEIs oportunidades para integração,capacitação e atualização de temas relevantes da categoria.

A programação inicia na terça-feira, 21, às 14h, com a Oficina Marketing Digital. Na quarta-feira, 22, no mesmo horário, Oficina Como Aumentar suas Vendas. Já na quinta-feira, 23, às 15h, haverá palestra sobre o tema: Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda.

Anúncio

Fonte: Secom/PMSJB

Continuar Lendo

Em Alta