Ligue-se a nós

Tecnologia

Nova era: EUA começam a produzir baterias de sódio sem lítio

Redação Informe 360

Publicado

no

Após dois anos de trabalho e testes, a estadunidense Natron Energy, especialista em baterias de íon de sódio, começou a produzir, em massa, suas novas baterias de sódio sem lítio de longa duração.

A ideia da empresa, segundo o New Atlas, era ter iniciado a produção em 2023, mas houve pequeno atraso.

Leia mais:

  • Como aumentar a vida útil da bateria do celular? Confira 5 dicas
  • 5 dicas para aumentar a vida útil da bateria do seu celular
  • Entenda como baterias de bicicletas elétricas estão ficando mais seguras

Baterias de sódio sem lítio são melhores?

  • O sódio é cerca de 500 a mil vezes mais abundante em nosso planeta do que o lítio;
  • Além disso, sua obtenção é realizada por método diferente de extração, que não deixa marcas na Terra;
  • A Natron diz que suas baterias de íon de sódio são produzidas somente de materiais abundantes no mundo, incluindo alumínio, ferro e manganês;
  • Sem contar que os materiais necessários para a química do íon de sódio da Natron são adquiríveis a partir de cadeia de abastecimento doméstica confiável e localizada nos EUA, evitando assim questões geopolíticas, ao contrário de materiais comuns de lítio, como cobalto e níquel.

Os íons de sódio têm atraído grande interesse nos últimos anos por ser meio de armazenamento de energia promissoramente mais confiável e potencialmente mais barato.

Mesmo com sua densidade de energia ficando atrás da do íon de lítio, ele possui algumas vantagens, tais como ciclos mais rápidos, vida útil mais longa e utilização final mais segura e não inflamável. Ele se tornou atrativo para utilizações estacionárias, como centros de dados e armazenamento de backup de carregadores de veículos elétricos (EVs, na sigla em inglês).

Anúncio

Pioneirismo

A Natron tem 11 anos de existência e é uma das pioneiras na pesquisa e implementação de baterias de íons de sódio. A maioria dos projetos dessa tecnologia segue em laboratório, mas a estadunidense iniciou uma das primeiras grandes operações de produção no mundo todo.

Para comemorar, no início desta semana, a companhia realizou cerimônia em sua fábrica, localizada em Holland, Michigan (EUA), chamando-a de primeira produção em escala comercial de baterias de íon de sódio nos EUA.

As baterias de íon de sódio oferecem alternativa única ao íon de lítio, com maior potência, recarga mais rápida, ciclo de vida mais longo e química completamente segura e estável. A eletrificação de nossa economia depende do desenvolvimento e produção de soluções novas e inovadoras de armazenamento de energia. Nós, da Natron, estamos orgulhosos de fornecer tal bateria sem o uso de minerais de conflito ou materiais com impactos ambientais questionáveis.

Colin Wessells, fundador e co-CEO da Natron, em fala durante o evento de comemoração

Segundo a empresa, suas baterias carregam e descarregam a taxas dez vezes mais rápidas que as de íon de lítio. Tal nível as torna, de acordo com o New Atlas, importantes candidatas aos altos e baixos do armazenamento de energia de backup. Elas também têm vida útil estimada de 50 mil ciclos.

Anúncio
Baterias serão fabricadas nas instalações da Natron em Holland, Michigan (EUA) (Imagem: DIvulgação/Natron)

Não há nível de densidade de energia baseado no peso divulgado pela Natron, mas um artigo da Chemical & Engineering News, de 2022, colocou as baterias de íon de sódio em 70 Wh/kg na parte inferior da escala de densidade de energia das de íons e sódio.

Este resultado está em linha com o plano de negócios inicial da empresa, pois as baterias de íons de sódio com demanda para uso potencial em mobilidade têm mais que o dobro desta densidade.

Em 2021, a CATL apresentou bateria de íon de sódio de 160 Wh/kg e pretende ampliar a densidade para mais de 200 Wh/kg, visando melhor desempenho em carros elétricos.

A Natron prevê que suas instalações em Holland aumentem sua produção para até 600 megawatts e a deixem funcionando em 100% de sua capacidade, sendo modelo futuro para instalações em escala de gigawatts.

Anúncio

É natural que, atualmente, o foco da empresa para distribuir seu novo produto sejam as instalações de armazenamento de dados de inteligência artificial (IA), visto que, de dois anos para cá, a IA passou a exigir mais e mais consumo de energia.

Nas centrais de armazenamento de dados de IA, as baterias de ciclo rápido, como as novas de íon de sódio, podem se tornar ferramente essencial de gerenciamento de energia. Espera-se que as primeiras entregas sejam realizadas já em junho deste ano.

A empresa estadunidense pretende, também, expandir o foco para outros mercados de energia industrial a longo prazo, incluindo o carregamento rápido de EVs e telecomunicações.

O post Nova era: EUA começam a produzir baterias de sódio sem lítio apareceu primeiro em Olhar Digital.

Anúncio
Continuar Lendo
Anúncio

Tecnologia

Spotify terá novo plano mais caro ainda este ano

Redação Informe 360

Publicado

no

Um novo plano do Spotify voltado para quem é usuário assíduo da plataforma será lançado ainda este ano e será mais caro que as assinaturas existentes atualmente. As informações são da Bloomberg.

Leia mais:

  • 7 recursos disponíveis no Spotify para encontrar uma playlist perfeita
  • Spotify: como ver histórico de músicas e podcasts no PC e celular
  • Como cancelar Spotify Premium pelo celular

A gigante do streaming de áudio planeja lançar o plano como um complemento para os usuários que já assinam o serviço. Espera-se que ele custe US$ 5 (cerca de R$ 26) a mais por mês nos EUA, dando acesso a um áudio melhor e novas ferramentas para criar playlists e gerenciar bibliotecas de músicas.

Recentemente, o Spotify aumentou os preços no país:

  • Premium Individual: de US$ 10,99 para US$ 11,99 por mês;
  • Premium Duo: de US$ 14,99 para US$ 16,99 por mês;
  • Premium Família: de US$ 16,99 para US$ 19,99 por mês.

As informações indicam apenas um lançamento nos EUA, e não há confirmação de o plano vá ser lançado no Brasil, por enquanto. Por aqui, os planos atuais são:

  • Plano Premium Individual, que sai por R$ 21,90 mensais;
  • Premium Duo por R$ 27,90 ao mês;
  • Premium Família, R$ 34,90 por mês;
  • E Premium Universitário, que custa R$ 11,90 mensais.

O Spotify se recusou a comentar oficialmente sobre o novo plano. O relatório desta assinatura nova surge uma semana após a empresa ter aumentado os preços dos seus planos premium nos Estados Unidos.

spotify
Previsão é que o Spotify lance novo plano ainda em 2024 – Imagem: Yalcin Sonat/Shutterstock

Novo plano do Spotify oferece mais qualidade de áudio

  • O preço do novo plano variará conforme o plano básico de cada usuário e o valor adicionado para obter os benefícios, mas espera-se uma margem de 40% no que será pago a mais em assinaturas.
  • Os assinantes que optarem pelo novo plano terão acesso ao áudio de alta fidelidade (HiFi) do Spotify.
  • Em 2021, o Spotify anunciou o recurso de áudio HiFi para permitir que assinantes premium em mercados selecionados atualizassem sua qualidade de som, mas o lançamento acabou sendo adiado.

Os assinantes premium do Spotify aumentaram 14%, no primeiro trimestre encerrado em 31 de março, em relação ao mesmo período do ano anterior. A previsão é de 631 milhões de usuários ativos mensais para o segundo trimestre.

spotify
Assinaturas do Spotify vem aumentando apesar de elevação nos preços (Imagem: Chubo – my masterpiece/Shutterstock)

O post Spotify terá novo plano mais caro ainda este ano apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Anúncio
Continuar Lendo

Tecnologia

Meta estaria planejando ‘story casado’ entre Insta e WhatsApp

Redação Informe 360

Publicado

no

Posso estar completamente enganado e desatualizado, mas não conheço muita gente que usa os “Stories” do WhatsApp, que recebem o nome de “Status”, mas que sabemos que são quase a mesma coisa.

A função, no entanto, deve ter a sua importância, até porque a Meta estaria preparando uma grande novidade para ela. Segundo indica um vazamento divulgado pelo desenvolvedor Alessandro Paluzzi, a empresa deve lançar em breve uma espécie de postagem casada entre o Whats e o Instagram.

Paluzzi, que é conhecido por ter ótimas informações de bastidores e por antecipar novos recursos, divulgou um printscreen do Story do Insta. E nele aparece o botão ainda inédito para compartilhar a publicação no WhatsApp também.

Vale destacar que a Meta já possui um recurso parecido, só que entre o Instagram e o Facebook. Se realmente implementada, essa mudança vai facilitar bastante a vida de quem posta o mesmo conteúdo em diferentes plataformas.

O que sabemos sobre a novidade

  • Pouquíssima coisa além do post do Paluzzi.
  • O recurso deve funcionar apenas em publicações próprias.
  • Ou seja, nada de postar diretamente aquele vídeo engraçado que você viu no feed.
  • A aposta é que a Meta também trabalhe no caminho reverso, ou seja, que você consiga postar o seu conteúdo do Status no Insta também.
  • Isso tudo, porém, vale lembrar, está apenas no campo das especulações.
  • Nem WhatsApp, nem Instagram, nem Meta se manifestaram.
  • Não há também, portanto, uma data oficial para lançamento.

Outras novidades no Whats

Apesar de abranger as duas plataformas, o novo recurso parece mais um afago aos usuários do WhatsApp. O mensageiro, aliás, vem recebendo nas últimas semanas novas ferramentas – que tem se mostrado muito úteis.

whatsapp instagram
As plataformas da Meta podem ficar mais próximas do que nunca – Imagem: BigTunaOnline/Shutterstock

Como você leu aqui no Olhar Digital, você pode criar figurinhas para o WhatsApp usando Inteligência Artificial.

Ou ainda mandar áudios ‘que somem’, ou seja, com visualização única.

O brasileiro, claro, agradece. Primeiro porque estamos no pódio de número de usuários da plataforma no mundo. Além disso, segundo o próprio Mark Zuckerberg, somos o país que mais envia áudios e usa figurinhas no “Zap”.

Olhar Digital.

Anúncio

Powered by WPeMatico

Continuar Lendo

Tecnologia

Golpe do óleo velho: o que é e como se proteger?

Redação Informe 360

Publicado

no

Um novo problema emergente tem preocupado os consumidores e especialistas do setor automobilístico: o golpe do óleo velho. Essa prática fraudulenta, que envolve a comercialização de lubrificantes falsificados, reutilizados ou de baixa qualidade, representa uma ameaça séria para a integridade dos veículos e a segurança dos motoristas. Neste artigo, vamos explorar o que é o golpe do óleo velho, suas consequências para os automóveis e como os consumidores podem se proteger.

O mercado de lubrificantes enfrenta várias formas de fraude, incluindo a atuação de fabricantes sem autorização ambiental, a adulteração de produtos e a pirataria de marcas. Essas práticas comprometem não apenas a qualidade dos lubrificantes, mas também enganam os consumidores, colocando em risco a segurança veicular e ambiental.

Leia também:

  • Como descarbonizar a frota de veículos brasileira?
  • Aquaplanagem: o que é e como evitar?
  • Qual é a forma correta de usar o câmbio de um carro automático?

O que é o Golpe do Óleo Velho?

O que é o Golpe do óleo velho
Foto de Tim Mossholder na Unsplash

O golpe do óleo velho refere-se à venda de lubrificantes adulterados, falsificados ou reprocessados, muitas vezes vendidos como produtos de alta qualidade. Essa prática criminosa pode incluir a mistura de óleo usado com substâncias inadequadas, a falsificação de marcas reconhecidas e até mesmo a venda de óleo queimado como se fosse novo. Uma das fraudes mais preocupantes é o reprocessamento de óleo queimado e sua venda como lubrificante sintético de alta qualidade.

Em resposta as fraudes, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), tem realizado um monitoramento mais intenso. De acordo com dados do Programa de Monitoramento de Lubrificantes da ANP, antes da intensificação do monitoramento, os lubrificantes, em sua maioria, estavam regulados em todos os aspectos, mas uma porcentagem significativa apresentou parâmetros fora do padrão, evidenciando a gravidade do problema.

Anúncio

Após o monitoramento mais minucioso, centenas de milhares de litros de lubrificantes irregulares foram apreendidos. A ANP apreendeu uma grande quantidade de lubrificantes irregulares nos últimos anos, principalmente devido à falta de aditivação e problemas de viscosidade.

Consequências para o Carro

O uso de lubrificantes de má qualidade pode acarretar uma série de danos ao motor do veículo. Esses lubrificantes inadequados podem não oferecer a lubrificação adequada, levando ao desgaste prematuro das peças do motor, aumento do atrito e superaquecimento. Além disso, substâncias contaminantes presentes em lubrificantes falsificados ou reutilizados podem causar entupimento de filtros, corrosão de componentes e danos irreversíveis ao sistema de lubrificação do veículo.

Como se proteger

Foto de Erik Mclean na Unsplash

Para evitar cair no golpe do óleo velho, os consumidores devem adotar algumas medidas preventivas. É essencial adquirir lubrificantes apenas em estabelecimentos confiáveis e autorizados, verificando sempre a procedência dos produtos e a integridade das embalagens.

Além disso, é recomendável ficar atento a preços muito abaixo do mercado, pois isso pode indicar a venda de produtos falsificados. Por fim, os motoristas devem estar atentos aos sinais de problemas no veículo, como ruídos incomuns, vazamentos de óleo ou falhas no desempenho do motor, e buscar a orientação de um profissional qualificado ao menor sinal de problema.

O golpe do óleo velho representa uma ameaça significativa para os proprietários de veículos, comprometendo não apenas a integridade dos automóveis, mas também a segurança dos motoristas e passageiros. Ao estar ciente dessa prática fraudulenta e adotar medidas preventivas, os consumidores podem proteger seus veículos e evitar prejuízos financeiros e mecânicos.

Anúncio

O post Golpe do óleo velho: o que é e como se proteger? apareceu primeiro em Olhar Digital.

Powered by WPeMatico

Continuar Lendo

Em Alta