Prefeitura de Campos afirma que só vai iniciar vacinação de profissionais da Educação após ordem do Ministério da Saúde

A Prefeitura de Campos informou, nesta quinta-feira (4), que só vai iniciar a vacinação de professores e profissionais da Educação contra a Covid-19 após autorização do Ministério da Saúde. A inclusão da categoria no grupo prioritário da imunização foi aprovada pela Câmara Municipal nesta quarta. Segundo dados dos Sindicatos dos Professores (SinPro) e dos Profissionais de Educação (SEPE), aproximadamente 13 mil pessoas atuam nas redes pública e privada de ensino do Município.

A subsecretaria municipal de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav) afirmou, ainda, que a vacinação de professores e profissionais da Educação depende da liberação de pelo menos 20 mil doses de imunizantes.

As informações foram obtidas pelo Jornal Terceira Via após questionar o Executivo sobre o assunto. Confira abaixo a íntegra da nota:

“A Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav) respeita a decisão política e, esclarece ainda, que a vacinação no município segue fielmente o Plano Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde e as orientações da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ). O município não pode inverter a ordem do Ministério da Saúde sob pena de responder a processo, já que a determinação é imunizar o grupo prioritário no qual estão incluídos profissionais de saúde, idosos acima de 80 anos, idosos institucionalizados e deficientes também institucionalizados. Para a imunização dos servidores da Educação, precisaríamos da autorização do Ministério da Saúde e do recebimento das doses. Serão necessárias no mínimo 20.000 doses.”

Aprovação na Câmara

A Câmara Municipal de Campos aprovou, nesta quarta-feira (3), por unanimidade, a inclusão de professores e profissionais da Educação Básica das redes pública e privada no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19.

A medida foi votada no mesmo dia em que o Governo Federal informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a adição de trabalhadores da área de educação ao público preferencial da imunização. Fonte: Terceira Via

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.