O que se sabe sobre a queda do WhatsApp, Instagram e Facebook

Usuários do WhatsAppFacebookInstagram e Messenger relataram que os serviços dos aplicativos pararam de funcionar na tarde desta segunda (4) — tanto na versão web (para computadores) quanto nos aplicativos para celular.

Os relatos sobre a queda dos serviços começaram por volta de 12h30 (horário de Brasília) entre os usuários. Mas os problemas não se restringiram ao Brasil. Os serviços estavam indisponíveis em várias partes do mundo.

Por volta das 18h40, após seis horas fora do ar, Facebook, Instagram e Messenger voltaram a funcionar. O WhatsApp demorou uma hora a mais para ter os serviços normalizados. Pouco antes das 20h, usuários já conseguiam mandar mensagens pelo aplicativo.

O que aconteceu?

Nenhum dos aplicativos explicou qual o problema, e o motivo da interrupção não foi imediatamente esclarecido. No entanto, vários especialistas em segurança apontaram rapidamente para um problema de Sistema de Nomes de Domínio, conhecido pela sigla em inglês DNS, como um possível culpado.

Por volta das 13h no horário do leste dos EUA, a ThousandEyes, divisão de análise de Internet da Cisco, disse no Twitter que seus testes indicam que a interrupção se deve a uma falha contínua de DNS. O DNS traduz nomes de sites em endereços IP que podem ser lidos por um computador. Geralmente é chamada de “lista telefônica da Internet”.

Segundo o site DownDetector, que monitora sites e apps que não estão funcionando, 38% dos problemas mais notificados no WhatsApp têm relação com o envio de mensagens, bem como no Messenger, enquanto os feeds do Instagram e do Facebook não carregam.

Fabro Steibel, conselheiro da MIT Sloan Review Brasil e diretor-executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) explica que o Facebook tem um plano de resiliência, ou seja, de absorver eventuais problemas técnicos para uma retomada imediata do sistema.

“Mas um problema de infraestrutura pode estar causando esse longo período fora do ar. Isso só pode ser cravado após análise técnica.” Fabro também não descarta possíveis ataques hackers.

Arthur Igreja, especialista em inovação, cibersegurança e tecnologia, também destaca que os motivos levantados até agora não passam de especulação, que só pode ser cravado após análise técnica. “Mas é o provável seja a questão de infraestrutura na internet mesmo.”

Queda histórica?

Segundo Arthur Igreja, esta pode ser considerada uma queda histórica, já que em outras falhas das redes, o tempo médio foi de uma a duas horas de duração.

Para ele, a queda tão demorada deve impactar por um período, até que todo o sistema esteja reestabelecido. “É ‘efeito dominó’, quando uma rede falha automaticamente, a procura pela outra acaba crescendo. E isso gera uma sobrecarga.”

Qual o impacto nas ações?

As ações do Facebook, listadas na Nasdaq, em Nova York, caíam mais de 5% na tarde desta segunda-feira (4), em um dia em que as páginas e aplicativos do grupo saíram do ar em todo o mundo e também em meio a quedas generalizadas no setor de tecnologia.

Por volta das 15h30, os papéis caíam 5,45%, cotados a US$ 324,30. A Nasdaq caía 2,3%. Fonte: CNNBRASIL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.