Morte de Marília Mendonça encorajou Juliette a operar aneurisma: ‘Não queria’

Juliette Freire abriu o jogo sobre o diagnóstico de aneurisma que recebeu em agosto do ano passado. Durante o Conversa com Bial da madrugada desta quarta-feira (9), a campeã do BBB 21 revelou que só decidiu buscar ajuda médica depois da morte de Marília Mendonça (1995-2021), em novembro. “Não queria tratar, não queria operar, fazer nada. Queria que Deus cumprisse a missão que Ele… Aí eu estava na cama com meus amigos, e eles falando: ‘Vai fazer, Juliette”.  Senti algo muito forte. A gente olhou o celular e foi no dia que a Marília Mendonça morreu. Aí todo mundo ficou chorando e disse assim: ‘Vamos fazer isso’. É muito ruim perder alguém assim. Liguei para o médico, preparei tudo”, contou a cantora.

A paraibana também explicou o motivo de não ter tornado público o diagnóstico da doença, que causou o AVC (Acidente Vascular Cerebral) que matou a irmã, Julienne, aos 17 anos. A mãe de Juliette também teve um AVC em 2019.

“Não falei porque não estava preparada para isso. Precisava me curar antes de me abrir. Minha mãe, além do AVC, tinha um buraquinho no coração, um forame, que era um dos meus propósitos de ganhar o Big Brother. E ela foi fazer esssa cirurgia em São Paulo. Eu já tinha feito outros exames no cérebro e não tinha dado nada, mas a doutora disse: ‘Vamos fazer um check-up’. E eu falei não”, relembrou a influenciadora digital.

“No fundo, tinha medo de fazer de novo porque tinha a sensação de que podia ser. Aí minha mãe fez a cirurgia, ficou superbem. Quando ela saiu do quarto, eu fui fazer meus exames. Passei uma hora dentro da máquina, recebendo contraste na veia, e na minha cabeça: ‘Sei que chegou a hora e vou saber que tenho um aneurisma’. Era uma certeza no meu coração que não sei de onde vinha”, relatou a artista.

Fonte: Uou.tv

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.