Governador do ES autoriza volta às aulas nas faculdades a partir de 14 de setembro

As instituições públicas e privadas de ensino superior do Espírito Santo estão autorizadas a retomar as atividades presenciais a partir do dia 14 de setembro.

A informação foi divulgada pelo governador, Renato Casagrande (PSB), em coletiva de imprensa transmitida pela internet nesta quarta-feira (26).

“A partir do dia 16 de setembro, estamos retirando a restrição ao funcionamento do ensino superior. A instituição publica ou privada que quiser retornar poderá retornar”, disse o governador.

Atualização: Inicialmente, o governador disse que as faculdades poderiam retornar a partir de 16 de setembro. Ainda durante a coletiva, ele voltou atrás e corrigiu a data.

As instituições precisarão seguir o protocolo sanitário definido pela Secretaria da Saúde (Sesa) em portaria, que prevê, entre outras coisas, a adoção de um Plano Estratégico de Prevenção e Controle (PEPC) em cada instituição.

“Esse controle diz respeito a todas as pessoas, não ao governo nem à instituição de ensino. Todos devem observar estes protocolos e respeitá-lo. No final, são as pessoas que higienizam as mãos, mantêm o afastamento e adotam as medidas de prevenção. Deverá ter um Comitê Local de Prevenção, com representantes da instituição e dos alunos para elaborar esses planos em conjunto e estabelecer uma série de protocolos e responsabilização para cada uma daquelas ações”, disse.

As aulas presenciais estão suspensas no estado desde meados de março. Na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), setembro é o mês previsto para que seja implantado o ensino remoto.

Educação básica

Sobre o retorno das atividades nas escolas, Casagrande disse que o Governo do Estado ainda não tem nenhuma definição segura sobre o tema. Mas adiantou que o Ensino Médio será o primeiro a retornar.

“Teremos o mês de setembro sem retorno da educação básica, e vamos avaliar se podemos voltar de alguma maneira a partir do mês de outubro. […] Não temos planejamento para a educação básica. A hora que pudermos retornar, o primeiro a retornar será o ensino médio, por motivos óbvios: as pessoas já têm a partir de 15 anos e têm noção dos protocolos a serem implementados”, explicou.

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, disse que um inquérito sorológico aplicado na comunidade escolar vai nortear as decisões futuras.

“Entendemos que o mês de setembro ainda é fundamental para a consolidação da queda da curva [de casos] que viemos observando. Teremos o inquérito escolar para, ao longo desse mês, termos uma fotografia da doença nas crianças e adolescentes para subsidiar melhor as nossas decisões a partir do mês de setembro. Neste ano, não devemos ter vacina disponível, a vacina deve acontecer somente no segundo trimestre do próximo ano, então é necessário ter a estratégia de enfrentamento à doença, para que tomemos iniciativas seguras”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.