Forte chuva em Petrópolis deixa pelo menos cinco pessoas mortas

 Uma chuva com intensidade extrema deixou mais um rastro de destruição e medo em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, neste domingo. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros confirmaram ao menos cinco mortos e três desaparecidas. O boletim foi divulgado na madrugada desta segunda-feira. Na cidade, há registros de 53 ocorrências, entre deslizamentos e alagamentos. Em fevereiro, a cidade imperial viveu a maior tragédia de sua história após um forte temporal, que deixou 233 pessoas mortas.

A Defesa Civil informou que foram registrados 490 milímetros de chuva em menos de 24 horas em Petrópolis. Duas pessoas mortas foram encontradas no Morro da Oficina, no Alto da Serra, área mais afetada no temporal de 15 de fevereiro. Outras duas na Washington Luiz, onde uma pessoa foi resgatada com vida e outras duas são procuradas; a quinta morte foi registrada na Rua Pinto Ferreira, no bairro Valparaíso, onde uma pessoa também está sendo procurada.

Cruzes brancas foram fixadas na Praça da Águia em ato realizado no dia 15 de março, quando completou um mês da tragédia. Com a enchente deste domingo, elas foram vistas sendo carregadas pela correnteza na Avenida Tiradentes, no Centro Histórico.
Na tarde de domingo, sirenes foram acionadas no município e várias ruas ficaram alagadas. Por causa dos alagamentos, vias do Centro foram interditadas. Houve queda de bairreira na Washington Luiz, na altura do km 92.
Equipes dos órgãos estão mobilizadas para atender as ocorrências. Também ocorreram salvamentos de pessoas ilhadas e atendimentos em deslizamentos na Rua 24 de Maio; na Rua Pedro José Stumpf Sobrinho, no Bingen; e na Rua Olga Castrioto, no bairro São Sebastião; todos sem vítimas.
“A corporação já mobilizou as unidades especializadas para apoiar as operações: Grupamento de Busca e Salvamento e 1° Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente”, informou a Defesa Civil em nota.
Abrigos
Em caso de emergência ligue 199 (Defesa Civil) ou 193 (Corpo de Bombeiros). Os moradores de áreas de risco devem se deslocar para locais seguros. A Defesa Civil tem 19 pontos de apoio estruturados nas localidades para acolher a população que precisar sair de suas casas. Veja onde se abrigar:

Alto da Serra – E. Comunidades Santo Antônio (R. Cel. Albino Siqueira, 197);
Ato da Serra – Paróquia Santo Antônio (R. Santo Antônio, 245)
24 de Maio – COMAC – E.M. Germano Valente (Rua Dr Sá Earp, 88 – Morin.);
Vila Felipe – E.M. Dr. Rubens de Castro Bomtempo (Rua Hermínio Schmidt, s/n);
Sargento Boening – E.M. Ana Mohammad (Estrada do Paraíso, Nº 701);
São Sebastião – E.M. Papa João Paulo (Rua São Sebastião, 625)
Siméria – E.M. Rosalina Nicolay (Est. Presidente Sodré, Nº 1026);
Independência – E.M. Alto Independência (Rua Leonor Maia, Nº 1670);
Dr. Thouzet – Escola Paroquial Bom Jesus (Rua Dr. Thouzet, Nº 820);
Quitandinha 1 / Amazonas – E.M. Stefan Zweig (Rua Sergipe, 49);
Quitandinha 2 / Ceará – E.M. Marcelo Alencar (Avenida Amaral Peixoto s/n);
Quitandinha 3 / Espírito Santo – E.M. Marcelo Alencar (Avenida Amaral Peixoto s/n);
Quitandinha 4 / Duques – E.M. Odette da Fonseca (Estr. Rio-Petrópolis, km 85);
Quitandinha 5 / Rio de Janeiro – C.E.I. Chiquinha Rolla (Rua Campos s/n);
Bingen – Salão Paroquial São Paulo Apóstolo (Rua João Xavier s/n);
Gentio – E.M. Dr. Paula Buarque (Est. de Teresópolis Km 2, s/n);
Vale do Cuiabá – Quadra do Boa Esperança (Est. Min. Salgado Filho s/n);
Floresta – E.M. Duque de Caxias (Travessa Luciano Camarota,78);
Caxambu – E. M. Senador Mario Martins (Rua Flávio Cavalcante, s/n).

Fonte: O Dia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.