Chinesa Spic faz acordo para adquirir 33% de projetos de energia a GNL no Porto do Açu

A Spic Brasil, subsidiária da elétrica chinesa State Power Investment Corp, anunciou acordo vinculante para comprar inicialmente 33% dos projetos GNA I e GNA II, localizados no Porto do Açu (RJ), que somam 3 GW em capacidade de geração de energia a partir de gás natural liquefeito (GNL).

A operação foi fechada junto à Prumo, empresa brasileira controlada pela EIG Global Energy Partners, à BP e à Siemens, que detêm participação nos empreendimentos no porto fluminense, segundo comunicado nesta segunda-feira(10/08).

A SPIC também firmou um contrato para participação nos futuros projetos de expansão GNA III e GNA IV, que preveem a utilização combinada do GNL e de gás doméstico das vastas reservas de pré-sal do Brasil, disseram as empresas.

A transação soma-se a outras aquisições anunciadas recentemente no setor elétrico do Brasil, mesmo em meio à pandemia de coronavírus, como a compra de parques eólicos da estatal Eletrobras pela Omega Geração e a uma negociação da AES Tietê por ativos eólicos da J. Malucelli.

O fechamento do contrato, previsto para o último trimestre de 2020, está sujeito ao cumprimento de certas condições precedentes comuns a este tipo de transação, entre outras, disseram as empresas.

A estimativa de investimento total planejado para o complexo GNA de gás e energia é de aproximadamente 5 bilhões de dólares.

O valor do contrato com a Spic não foi divulgado

A companhia chinesa possui no Brasil usinas eólicas e a hidrelétrica de São Simão, em Goiás, adquirida em um leilão em 2017. Fonte: MoneyTimes.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.